Manifesto Zooks

Image

Quem sou eu agora?

Quem sou eu agora, que acabram as vitrolas
E as maçanetas das portas?
Tenho que lembrar a senha que anotei em algum lugar
Estão nas notas do celular que eu acabei de derrubar
Quem sou eu agora, sem a senha do cartão?
Do Facebook? Do Instagram? Quem sou eu agora que nao escrevo mais cartas
Nem gasto tempo lendo placas
Não lembro do almoço com João...
Nem rabisco em papel de pão
Mas lembro do poema que li em uma viagem pro Japão

Quem sou eu agora, nessa vida cheia de imperativos?
Quem sou eu agora, sem um livro na mão?
Eu sou o cara que guarda na memória as histórias que me contam sem razão
Eu tiro a poeira dos meus discos, ouço eles riscados ou não
Eu me visto de acordo com o sonho que eu carrego nas mãos
Eu sou minha foto do Instagram seja ela com filtro ou não
Eu sou meu filtro, tem dias que esqueço e peso a mão
Não me desculpo por ser eu, eu não quero ter razão
Eu sou o que sinto, e às vezes sinto muito
E é assim, de livro em livro, que eu vou montando meu destino
É muita história pra se ler sozinho.